DSC_3417

33º Dia: Agora é correr para casa…

Depois de tudo, agora é voltar para casa o mais rápido que pudéssemos. Saímos de Cusco cedo e seguimos pela estrada interoceânica. Essa estrada é boa do lado peruano e regular do lado brasileiro. Estão construindo pelo menos três pedágios do lado peruano.

O início do percurso ainda é nas montanhas, então mais curvas e mais sobe/desce. De repente, ao fazer a última curva rodeando um monte, lá do alto avistamos uma planície toda verde de floresta. Nada de montanhas mais pelo caminho! Acabaram-se os Andes.

No primeiro dia da volta seguimos direto de Cusco até Rio Branco, no Acre. Um dos nossos receios seria a falta de postos de gasolina, mas isso não foi problema. A autonomia do carro era boa (cerca de 650km), e encontramos uma cidade com bastante postos mais ou menos na metade do caminho até a fronteira, e depois novamente em Puerto Maldonado (capital de província).

Na fronteira, os policiais peruanos nem ligam para os brasileiros retornando (parecem até gostar de nós). No entanto, quase nos demos mal. Não sabíamos que a aduana peruana fechava às 19:30 (horário de lá), chegamos às 19h. Por pouco não teríamos que esperar até a manhã seguinte.

Do lado brasileiro apenas uma van da Polícia Federal e dois agentes. Deram boa noite, respondemos, e mandaram seguir viagem.

DADOS – 33º DIA
Saída: Cusco – Peru
Chegada: Rio Branco – Brasil (Acre)
Distância percorrida: 1057km
Combustível: S/.184,00 + R$80,00
Hospedagem:
Refeições: S/. 4,50 + R$17,50
S/. = Soles Peruanos
R$ = Reais