DSC_2695

19º Dia: ECUADOR!

Ahhh, Punta Sal… quem te conhece não esquece jamais!

19º dia… 06/01/2012… acordamos e já saímos para a praia. Nem foi preciso muito esforço. Uns 30 passos e já pisávamos na água. E a piscina nos chamando? Não teve jeito. Depois da praia, mais um tempinho na piscina, afinal de contas, ninguém é de ferro.

Olha só que beleza de lugar. Até o sol, que estava um pouco tímido, no final acabou saindo.

DSC_2680

Saída de Punta Sal
Saída de Punta Sal

Descansados… relaxados… caímos na estrada. Nosso destino era Guayaquil, no Ecuador. Mas antes, passamos pelas aduanas peruana e equatoriana.

Dessa vez foi mais tranquilo. No Peru, como sempre, faltavam placas de informação. Mas algumas perguntas com respostas curtas e grossas e já sabíamos para onde ir. Declarada a saída do carro e passada a migração, fomos rumo à fronteira.

Essa fronteira é calma demais. Pudemos parar pra tirar fotos no meio da estrada por mais de dez minutos e nada de passar outros carros. Não faltaram poses possíveis…

Ao chegar na migração equatoriana, prédios e mais prédios vazios. Estão inaugurando aos poucos. Talvez  esperem que a procura aumente. Um guarda nos auxiliou a todo momento, dizendo-nos para onde ir e oferecendo banheiro.

Primeiro fazer o seguro do carro. Isso mesmo, no Equador não se entra sem fazer um seguro. Valor: cerca de 5 dólares. O rapaz nos disse que éramos os primeiros a passar com carro brasileiro que ele atendia.  Aproveitamos para pedir informações sobre o país, já que não sabíamos nada. O dinheiro utilizado é o dólar americano, somente algumas moedas são cunhadas no Equador e diferentes das confeccionadas nos EUA. A gasolina é muito mais barata que no Peru (e realmente é… 3/4 de tanque saíu menos de R$35,00!… só não sabemos quantos litros deram, pois aqui se mede em galões).

Bom, feito o seguro, o tal guardinha mais uma vez prontamente nos ajudou (nem precisávamos dizer nada, ele mesmo nos procurava para informar). Primeiro ofereceu banheiros de novo e depois informou que o próximo passo seria a migração.

Migração realizada (aqui não batem carimbo no passaporte, eles imprimem!). Ao sair, lá vem o guardinha oferecer banheiro outra vez e para que procurássemos a sessão de turismo para pegar mapas. Já começávamos a desconfiar de tanta gentileza, quando o guarda soltou um: “Está quente, né?“… hummmm… antenas levantadas, essas falas não surgem sem serem seguidas de um: “Não tem um dinheiro para uma água?“… Isso mesmo, o guarda teve a cara-de-pau de pedir dinheiro para água. Como éramos brasileiros, de pronto já soltamos um: “Não entendi o que você disse!“… “Como assim?“… “Tem bebedouro por aqui?“. Ele insistiu: “Não, dinheiro para comprar água“… e nós também insistimos: “Ah, tem lugar pra gente comprar água aqui?“… E ele continuou… “Não, dinheiro para eu mandar trazer água pra mim“. Resolvemos terminar a conversa com um: “Rapaz, acabamos de chegar no Equador, esperávamos que tivesse algum caixa de banco por aqui, estamos sem nada“. Ok. Problema resolvido, ele aceitou a desculpa e continuou nosso amigo.

Mapas pegos na sessão de turismo, seguimos para fazer o trâmite de entrada do veículo na Aduana. Cópias de vários documentos, conversa com alguns agentes e já estávamos com a autorização em mãos. Seguimos para Guayaquil.

No caminho, só bananas. Enquanto no Pontal do Paranapanema são quilômetros de cana-de-açúcar, aqui são quilômetros e mais quilômetros e mais quilômetros de bananeiras. A paisagem é mais ou menos essa:

Bananas!
Bananas!

Os motoristas equatorianos são mais loucos que os peruanos. Enquanto no Peru fazem o que fazem nas cidades, no Equador é nas estradas. Não conseguem ficar muito tempo atrás de um carro mais lento, a todo instante tentam ultrapassar, mesmo vendo que há carros vindo no sentido contrário. E se não tomarmos cuidado, topamos de frente com um desses. Em uma das vezes tivemos que cair para o acostamento no susto. O pior são os caminhões e ônibus fazendo essas ultrapassagens. Para evitar problemas, temos que andar mais rápido que o normal para que nenhum tente nos ultrapassar.

Chegamos a Guayaquil no início da noite. Infelizmente tivemos uma surpresa ruim. Esperávamos muito mais da cidade. Foi uma dificuldade conseguir um hotel com estacionamento. Aliás, no que encontramos, o estacionamento era a rua, mas alguns funcionários do hotel olham o carro a noite inteira.

Fomos descansar…

Rota do dia:

DADOS – 19º DIA
Saída: Punta Sal – Peru
Chegada: Guayaquil – Ecuador
Distância percorrida: 384km
Pedágios: S/.7,50 + $3,00
Combustível: S/. 90,00
Hospedagem: $91,50
Refeições: S/.3,00 + $7,75
Seguro do carro: S/. 20,00
S/. = Soles
$ = Dólares