DSC_1567

5º Dia: Geisers e muito sal…

Hoje acordamos muito cedo (quase nem dormimos). Para o passeio ao geiser El Tatio tivemos que estar na porta dohostal às 4h da manhã pra esperar a van que nos levaria… E ainda fomos dormir depois da meia-noite e meia…

A subida para o geiser demora cerca de 2 horas. Quando chegamos já eram 6h30 e o sol estava começando a nascer. O frio era intenso, tivemos que subir encapotados de blusa! Segundo o guia, a temperatura chega a -5ºC. Realmente estava muito difícil de aguentar as mãos geladas sem luvas.

Esse geiser faz parte do "El Tatio". Alguns segundos antes do sol aparecer.
Esse geiser faz parte do “El Tatio”. Alguns segundos antes do sol aparecer.
Os primeiros raios de sol. Foi muito bonito! Tente achar, deitado nas montanhas, a figura de um homem olhando para cima, bem próximo do sol. Primeiro procure pelo nariz, depois o restante. Este é o homem que dá o nome ao geiser: El Tatio.
Os primeiros raios de sol. Foi muito bonito! Tente achar, deitado nas montanhas, a figura de um homem olhando para cima, bem próximo do sol. Primeiro procure pelo nariz, depois o restante. Este é o homem que dá o nome ao geiser: El Tatio.
Geiser El Tatio.
Geiser El Tatio.
Geiser El Tatio.
Uma das piscinas quentes de El Tatio.
Uma das piscinas quentes de El Tatio.

Após conhecermos El Tatio, descemos até um povoado chamado Machuca. Lá vendem churrasco de lhama e empanadas de queijo de cabra. Infelizmente o churrasco acabou justamente na nossa vez de comprar, então ficamos só com as empanadas mesmo.

Não é churrasquinho de gato, é de lhama!
Não é churrasquinho de gato, é de lhama!
Povoado de Machuca.
Povoado de Machuca.
Povoado de Machuca visto de cima.
Povoado de Machuca visto de cima.
Vendedor em Machuca.
Vendedor em Machuca.

Nisso o sol já estava alto e a temperatura na casa dos 30ºC (ou mais).

Quando retornamos ao hostal, dormimos mais duas horinhas e voltamos à estrada. Mas antes, uma parada para abastecer e tirar a prova se o problema com o carro era a gasolina mesmo ou algum problema mais grave. Enchemos o tanque com a gasolina chilena e a stradinha não falhou. Ok, um problema a menos para resolver!

Depois fomos até à Laguna Cejar, ao sul da cidade de San Pedro de Atacama. As águas desse lago são tão salgadas que não é possível afundar. Passamos cerca de uma hora por lá e seguimos para a Laguna Tebenquinche. Durante o caminho, somente deserto de todos os lados e ninguém mais por perto. Sem muitas placas para indicar o trajeto, fomos com a cara e a coragem.

Ao chegar em Tebenquinche, uma surpresa muito boa. O lugar é belíssimo!!!

DSC_1571
Laguna Tebenquinche, no Salar do Atacama.
Laguna Tebenquinche, no Salar do Atacama.
Laguna Tebenquinche, no Salar do Atacama.
Laguna Tebenquinche, no Salar do Atacama.
Laguna Tebenquinche, no Salar do Atacama.
Depois de colocar a mão nessa água da laguna, quando a água seca resta apenas o sal. Imagine ao entrar pra tomar um banho nessa lagoa?
Depois de colocar a mão nessa água da laguna, quando a água seca resta apenas o sal. Imagine ao entrar pra tomar um banho nessa lagoa?

Ao retornar a San Pedro é claro que nem tudo daria certo. No caminho há algumas bifurcações sem placas, o que só serve para confundir. Na ida tentamos marcar “mais ou menos” o caminho para não nos perdermos. O problema é que o vento do deserto acabou mudando um pouco a paisagem da estrada nessas poucas horas entre a ida e o retorno. Quando faltavam alguns quilômetros para chegar à estrada principal, não reconhecemos o caminho onde estávamos (era muito diferente!) e resolvemos voltar em uma das bifurcações….. voltamos para errar.

Por sorte a stradinha conta com uma bússola (eu sabia que um dia ela seria útil!), e assim conseguimos pegar um caminho sentido leste (onde sabíamos que estaria a estrada principal). Depois de meia-hora de sufoco, enfim encontramos o asfalto.

Durante o passeio, um videozinho guiando no meio do deserto. Fácil de se perder, não? Muito bom!

Abaixo o trajeto de hoje. Ao norte temos o geiser El Tatio, e ao sul as Lagunas Cejar e Tebenquinche.

DADOS – 5º DIA
Saída: San Pedro de Atacama – Chile
Chegada: San Pedro de Atacama – Chile
Distância percorrida: 86km
Pedágios:
Combustível: PC$31.000,00
Hospedagem: PC$35.000,00
Refeições: PC$10.300,00
Passeios e entradas: PC$44.000,00
PC = Pesos Chilenos