Islas Ballenas

29º Dia: Las Islas Ballenas…

Começamos o dia com um passeio pra lá de inesquecível. Uma viagem de barco até as “Islas Ballenas”, um lugar próximo à Paracas.

Conhecemos quatro brasileiros durante esse passeio. Eles também estavam “passeando” pelo Peru e nos contaram algumas histórias muito interessantes. Inclusive nos deram muitas ideias para próximas viagens…rs.

O passeio foi fantástico. Primeiro passamos por uma figura, desenhada na areia, em um dos cantos da península. Chamada de “candelabro”, segundo o guia ela foi descoberta em 1902, mas não se sabe se foi desenhada pelos incas, por piratas ou outro grupo qualquer. Ela continua intacta com o passar do tempo porque os ventos (lembram-se das aulas de geografia?) ali sopram de sul para norte. Como a figura está voltada para o norte, então ela não é afetada.

Figura do candelabro.
Figura do candelabro.

Já quanto ao restante do passeio, é melhor que vejam algumas das fotos ao invés de lerem relatos:

Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas
Islas Ballenas

Cerca de duas horas depois estávamos de volta à terra. Abaixo a rota feita pelo barco:

Fizemos checkout no hotel e seguimos para as montanhas. Agora sim, essa era a última vez que víamos o Oceano Pacífico durante a viagem, e fechamos com chave de ouro!

Subindo as montanhas o carro voltou a falhar, como da primeira vez, no caminho para San Pedro de Atacama. Mas ainda não descobrimos o motivo.

A paisagem era fenomenal, com muitos fundos de vale e animais por volta da pista.

Caminho para Ayacucho
Caminho para Ayacucho
Caminho para Ayacucho
Caminho para Ayacucho
Caminho para Ayacucho
Caminho para Ayacucho

Olhem o que é uma zona urbana nesse lugar:

Caminho para Ayacucho
Caminho para Ayacucho

Durante o caminho, o máximo que o GPS marcou foi a altitude de 4.757 metros, onde o computador de bordo do carro marcava 2ºC de temperatura externa. Ele chegou a nos avisar “Perigo de gelo!” várias vezes. A grande coincidência é que, logo em seguida, avistamos essa paisagem abaixo. Ao vê-la, ficamos imaginando o porque do sol estar brilhando diferente ali.

Caminho para Ayacucho
Caminho para Ayacucho

Tiramos essa foto e seguimos. Ao chegar naquele ponto é que entendemos. Na verdade não eram raios de sol, mas sim chuva de gelo! Pegamos cerca de 5 minutos de gelo caindo sobre o carro, chegando a formar uma crosta embaixo do limpador do para-brisa. Mas tudo tranquilo.

Depois disso praticamente apenas descemos, até chegar à cidade de Ayacucho. Aqui sim tomamos um grande susto. A cidade é muito “bagunçada”. Difícil de entende-la e difícil de achar um hotel que fosse aceitável para se dormir (com estacionamento para o carro). Depois de muitas voltas, o sol já havia se escondido quando fechamos com um hotel.

Os trechos percorridos:

DADOS – 29º DIA
Saída: Paracas – Peru
Chegada: Ayacucho – Peru
Distância percorrida: 374km
Combustível: S/.42,50
Hospedagem: $66,00
Refeições: S/.57,50,00
Pedágios: S/. 22,50
Passeios: S/. 92,00
S/. = Soles Peruanos
$ = Dólares