DSC_2970

26º Dia: Aduanas… que bagunça!

Oito horas da manhã já estávamos na estrada de novo. Vendo a cidade durante o dia, estava mais suja ainda. Mas a quantidade de obras e de placas indicando “perigo” nas ruas deixava claro que algo aconteceu naquela região. Aquilo não era normal.

Catacocha
Catacocha

Ah, as pessoas de lá falavam de maneira parecida com as de Guayaquil. Um espanhol extremamente rápido. E quando pedíamos para repetir, pareciam falar mais rápido ainda. Portanto, impossível de se manter um diálogo com mais de algumas frases.

Seguimos pela estrada, agora durante o dia. Realmente a quantidade de buracos era muito grande. E mesmo pela manhã, ainda havia neblina, mas agora muito mais fácil de dirigir. Uma foto para terem uma ideia:

Neblina durante o dia... imagine a noite
Neblina durante o dia… imagine a noite

Conseguem ver o cachorro? Ele estava a menos de 10 metros do fotógrafo. Imaginem isso na escuridão da noite.

Bom, depois de algumas horas e, finalmente, chegamos à Macará, fronteira com o Peru. Paramos para abastecer e haviam alguns policiais controlando quem estava comprando gasolina. Pediram a documentação do carro, fizeram algumas perguntas e liberaram a compra. Pelo o que pudemos entender, como a gasolina no Equador é muito mais barata do que no Peru, eles controlam a venda para os peruanos. Isso foi o que conseguimos abstrair daquilo tudo.

Abastecidos com gasolina barata, seguimos para a fronteira. Mas que coisa mais bagunçada. Trata-se de uma pequena ponte de uns 20 metros de comprimento. De um lado da ponte policiais e aduana equatorianos, do outro os peruanos. Como não sabíamos que tínhamos que encostar antes (não dava pra ver e entender nada do que estava acontecendo), tivemos que parar já em cima da ponte para fazer o trâmite de saída do Equador. Até aí tudo ok, sem problemas. Os policiais e fiscais equatorianos foram bem tranquilos.

Saída realizada, fomos para o lado peruano. Primeiro a migração. Carimbos ok! Então seguimos para a aduana para conseguir a autorização de entrada do carro. Chegando lá nos disseram que precisávamos comprar o seguro SOAT. Hummm, da outra vez que entramos não precisamos, mas tudo bem, fomos lá. A seguradora era na casa de uma senhora, enquanto o marido mexia no computador (sem camisa), uma criança em um andador não parava de chorar. A mulher preencheu a papelada, cobrou os 8 dólares, e ainda nos deu uma flanela de brinde. Ok!

Retornamos à aduana. Agora o agente pediu os documentos e disse que precisava de um carimbo no verso do papel de autorização de entrada. Fomos lá. Ao entrar na sala, já demos um “buenas tardes” que não foi correspondido pelo policial que lia um jornal na mesa. Na verdade ele fingiu que se quer nos ouviu. Ficamos lá, parados em pé, fingindo ler qualquer coisa enquanto o policial não tivesse a boa vontade de parar de ler o jornal e trabalhar. Depois de um tempo ele olha para nós e pergunta o que queremos. “Un carimbo aquí”. Ele puxou um livro e começou a anotar nossos dados e depois fez o que precisávamos. Carimbo conseguido.

Voltando à aduana, o fiscal pede que cheguemos mais perto com o carro. Ele não tinha cara de “boa gente”. Pra piorar, vimos alguns taxistas pagando propina pra entrar com o carro “de boa”. Tivemos que dar um jeitinho para não correr o risco de morrer com alguns dólares lá… Para resumir a história, ele pensou que trabalhávamos na polícia federal ou algo parecido (nós não afirmamos ou dissemos isso, nem contamos qualquer mentira… ele chegou a essa conclusão sozinho… rs) depois de alguns bons minutos conversando, ele nos entregou a autorização de entrada. Seguimos viagem.

Na ida nenhum policial peruano nos parou. Agora, com 30 minutos de estrada no Peru, fomos parados três vezes. Cada um pedindo uma coisa diferente. Mas passamos sem problemas. Alguns até foram muito simpáticos.

E assim fomos seguindo até chegar em Trujillo.

DSC_2966

DSC_2971-PANO

Trechos percorridos:

DADOS – 26º DIA
Saída: Catacocha – Ecuador
Chegada: Trujillo – Peru
Distância percorrida: 679km
Combustível: $6,50 + S/.125,00
Hospedagem: S/.100,00
Refeições: $1,50 + S/.16,90
Seguro: $8,00
Manutenção: S/.80,00
$ = Dólares
S/. = Soles Peruanos